Morro do Chapéu fica de fora, mas Utinga, Itaetê, Itaberaba e Iramaia entram no Mapa do Turismo da Chapada Diamantina - Comando Brasil

Morro do Chapéu fica de fora, mas Utinga, Itaetê, Itaberaba e Iramaia entram no Mapa do Turismo da Chapada Diamantina

Cai número de municípios baianos no Mapa do Turismo Brasileiro; são 17 municípios a menos

Informações Jornal da chapada
(Foto: Reprodução)

Esta semana foi divulgada, no Diário Oficial da União, a portaria sobre o novo Mapa do Turismo Brasileiro com os municípios para o biênio 2019/2021. Em 2017 a Bahia chegou a ter 150 municípios, e agora caiu para 133. Alguns municípios foram excluídos, provavelmente por falta de interesse em continuar no Mapa, como por exemplo Morro do Chapéu, Wagner e Piritiba, na Chapada Diamantina, Xique-Xique e Uibaí dentre outros. Por outro lado, alguns foram incluídos como Utinga, Boninal, Itaetê, Itaberaba e Iramaia, todos também na Chapada.


Para os que permanecem, alguns subiram de categoria, mas outros municípios que permaneceram foram rebaixados, como é o caso de Ibicoara, de C para D, e de Gentio do Ouro de D para E. Os municípios de Andaraí, Abaíra, Lençóis, Mucugê e Nova Redenção se mantiveram no Mapa sem alterações. Assim como Barra da Estiva, Bonito, Iraquara, Ituaçu, Jacobina, Jussiape, Palmeiras, Piatã, Rio de Contas e Seabra.
Gruta Lapa do Bode fica no município de Itaetê (Foto: Túlio Saraiva)
Gruta Lapa do Bode fica no município de Itaetê (Foto: Túlio Saraiva)

Segundo o Ministério do Turismo (Mtur), essa categorização pode servir para otimizar a distribuição de recursos públicos, orientar a elaboração de políticas específicas para cada categoria de municípios, aperfeiçoar a gestão pública, na medida em que fornece aos gestores do Ministério e dos Estados mais um instrumento para subsidiar a tomada de decisão, auxiliar na atualização do Mapa do Turismo Brasileiro, que é feita periodicamente, além de ajudar na reflexão sobre o papel de cada cidade no processo de desenvolvimento turístico regional.


Segundo o MTur, a opção foi trabalhar com dados que pudessem ser atualizados periodicamente e que traduzissem a economia do turismo. A partir daí se chegou a quatro variáveis objetivas. Dentre elas o número de ocupações formais e estabelecimentos formais no setor de hospedagem, estimativa do fluxo turístico doméstico e do fluxo turístico internacional. As variáveis foram cruzadas em uma análise de agrupamento e deram origem às cinco categorias de municípios (A, B, C, D ou E). Assim, os municípios que possuem médias semelhantes, nas quatro variáveis analisadas, foram reunidos em uma mesma categoria.

Compartilhar Google Plus

Compartilhe e comente nas redes sociais

Compartilhar Whats

0 Comentários:

Postar um comentário