Salvador vai sediar 17º Congresso Nacional do Movimento Negro Unificado

O Movimento Negro Unificado foi criado nas escadarias do Teatro Municipal, em São Paulo, no ano de 1978.


Realizado pela última vez há seis anos, o Congresso Nacional do Movimento Negro Unificado volta a acontecer, a partir das 18h desta sexta-feira (15). A cerimônia de abertura vai ocorrer na Praça Pedro Arcanjo, no Pelourinho, em Salvador. O objetivo do evento, que reunirá delegados de 15 estados brasileiros, é eleger a nova coordenação nacional do movimento, comemorar os 36 anos de existência - completados no dia 18 de junho de 2014 -, além de discutir e elaborar ações de combate ao racismo

A 17ª edição do evento tem apoio dos governos estadual e federal, por meio da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi) e Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), respectivamente. Segundo a secretária geral do MNU na Bahia, Tâmara Terso, a escolha de Salvador como palco das cerimônias não foi por acaso. “A capital baiana é a cidade mais negra do Brasil. É símbolo. Em Salvador o movimento negro tem grande força”.

O evento, que vai marcar o início da programação, é aberto ao público e prevê realização de shows dos grupos afros Ylê Ayê e Receptivo Compasso. Nos demais dias participam apenas os delegados do congresso, que foram eleitos em assembleias estaduais em todo o país. Os encontros vão acontecer no Hotel Vilamar, no bairro de Amaralina.

O Movimento Negro Unificado foi criado nas escadarias do Teatro Municipal, em São Paulo, no ano de 1978. Desde então, o MNU se tornou uma das principais frentes de luta antirracista no Brasil, tendo exercido protagonismo na redemocratização do país e em muitas de suas principais transformações sociais, como a diminuição da violência policial e proposição de políticas de reparação aos negros. 
Informações Secom Bahia - Secretaria de Comunicação Social
Compartilhar Google Plus

Caixa de comentários

0 Comentários:

Postar um comentário