Primeira etapa de mutirão carcerário solta 827 presos provisórios

Mutirão organizado pelo TJ-BA pretende desafogar prisões com a avaliação de processos de presos provisórios do estado

Informações bahia.ba
(Foto: Wilson Dias/Agência Brasil)


Um mutirão carcerário organizado pelo Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), que está em vias de avaliar os processos de 6.682 presos provisórios do estado, já analisou 2.754 processos em todo o estado, concedendo soltura a 827 presos de 81 comarcas estaduais. Com participação direta de 211 magistrados das varas criminais, o mutirão seguirá até o dia 20 de abril e busca desafogar os presídios e melhorar a crise penitenciária do país.
Através de nota, o juiz Antônio Faiçal avaliou o primeiro momento do mutirão e projetou as diretrizes para a segunda etapa. “Os números são muitos bons. É certo que essa é uma primeira etapa, na qual nós, naturalmente, temos um maior volume de resposta com relação a manutenção, ou não, das prisões. Esperamos que em uma segunda etapa a gente consiga ter mais respostas para a finalidade mesmo do mutirão, que é a sentença desses processos com o envolvimento de pessoas privadas de liberdade”, afirmou.A
Compartilhar Google Plus

Caixa de comentários