Cadeirante pode ter sido executado por facção de Simões Filho

O homem, confessou em vídeo antes de sua morte, que era pedófilo, acusação que surgiu após a divulgação de imagens do seu celular

Informações bahia.ba
(Foto: Reprodução Youtube)


O cadeirante Eduardo Santos Silva, 42 anos, foi executado dentro de seu apartamento com um tiro no rosto na noite de quinta-feira (8). Ele morava no  no Loteamento Vida Nova, em Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), e conforme a polícia pode ter sido assassinado pela facção criminosa  Bonde do Maluco (BDM), que controla a área.
Segundo os policiais da 22ª CIPM (Simões Filho), chegaram aos investigadores informação de que Eduardo foi assassinado por pessoas do condomínio, após perder o celular no qual havia vídeos em que ele mantinha relações sexuais com menores de 12 anos que moravam na região.
De acordo com o capitão Evaristo Alves Brandão, subcomandante da 22ª CIPM, diz que existe a hipótese de a morte do homem ter relação com a descoberta de que ele era pedófilo.
Compartilhar Google Plus

Caixa de comentários

0 Comentários:

Postar um comentário