Moradores denunciam desmatamento e queimadas em Pernambués - Comando Brasil

Moradores denunciam desmatamento e queimadas em Pernambués

Áreas verdes são constantemente alvos de ataques no bairro

Informações bahia.ba
(Foto: Romildo de Jesus/Tribuna da Bahia)
(Foto: Romildo de Jesus/Tribuna da Bahia)
Bananeiras derrubadas, cajueiros queimados. O que não falta são vegetais destruídos pelo fogo e por serradeira na 3ª Travessa Saturno, em Pernambués. 

A destruição da área verde ocorre no entorno de uma ONG, que foi alvo de denúncias em 2014, quando começou a ser construída. A série de ondas de desmatamento na região foi denunciada por moradores ao jornal Tribuna da Bahia.
Segundo fontes ouvidas pela reportagem, apesar de ter sido identificada como uma ONG, o espaço não funciona como uma instituição governamental e abriga apenas dois homens, estes que estão sendo apontados como causadores do desmatamento.
“A gente teme que seja especulação imobiliária. Quando houve o embargo da construção da ONG há cinco anos, chegaram a aterrar um riacho que tinha aqui e a derrubar a mata que dá para a pista (Avenida Luís Eduardo Magalhães). Retomaram as obras esse ano e a serra já começou derrubando tudo, colocando fogo também. Esse cajueiro eu mesmo plantei, demorou para crescer e foi morto em minutos. Estamos perdendo remanescente de mata todo dia”, contou um morador do Condomínio Sistema Solar, que optou pelo anonimato.
Segundo ele, na época em que a ONG começou a ser construída, após denúncias a prefeitura chegou a confiscar uma trator que e embargar a obra por falta de alvará. “A Secis [Secretaria da Cidade Sustentável e Inovação] notificou o proprietário e, de lá para cá, estava tudo quieto. Agora foi retomado. Todo o problema é o desmatamento. Quando você menos espera colocam fogo na vegetação”, disse.
Para a estudante Bruna Fernandes, de 20 anos, a pior parte, além do estrago ambiental, é justamente a fumaça decorrente dos incêndios. “Você vê aquela fumaça toda preta entrando dentro de casa, deixando tudo com cheiro forte. Uma vez vi o Corpo de Bombeiros chegando e achei que fosse alguma casa pegando fogo, mas era a queimada na mata. E aqui acontece muito isso, não só onde teve essa construção. Tem mata, eles estão colocando fogo”, contou.
Procurada, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Urbanismo, responsável pela fiscalização, informou que realizou vistoria no local nessa quarta-feira (30). Apesar das imagens mostrando parte da vegetação queimada e árvores derrubadas, o órgão afirmou que “não foi identificado nenhum tipo de serviço no terreno”, mas que “continuará monitorando a área”.
Compartilhar Google Plus

Compartilhe e comente nas redes sociais

Compartilhar Whats

0 Comentários:

Postar um comentário