FBI diz ao TSE que não é papel do Estado combater fake news

O governo americano considera que deve apenas atuar contra a interferência externa nas eleições locais

Informações bahia.ba
(Foto: Reprodução)


Uma das principais preocupações da Justiça Eleitoral para o pleito deste ano, o combate à circulação de fake news (notícias falsas) não é uma obrigação do governo, disseram representantes do FBI, a Polícia Federal dos Estados Unidos, em reunião no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nesta segunda-feira (5).
De acordo com os integrantes da corporação, o governo americano considera que deve apenas atuar contra a interferência externa nas eleições locais e entende como um direito do cidadão ser radical e publicar informações erradas.

O grupo foi convidado a falar sobre o tema pelo Conselho Consultivo sobre Internet e Eleições do TSE.
Segundo informações do site Jota, durante a apresentação, o ministro Luiz Fux, presidente da Corte, questionou aos integrantes do FBI como o governo dos EUA age para combater as fake news e eles foram categóricos ao dizer que consideram ser papel do Estado apenas evitar interferência de fora em pleitos locais.
Os agentes detalharam as leis utilizadas para enquadrar as situações de influência externa.
Compartilhar Google Plus

Compartilhe e comente nas redes sociais

Compartilhar Whats

0 Comentários:

Postar um comentário