PM é preso por abusar sexualmente de duas adolescentes em Medeiros Neto

O policial está sendo acusado de abusar de adolescentes, com 12 e 14 anos, que trabalharam fazendo serviços domésticos na casa do PM

Informações Correio24horas
O policial militar que está sendo investigado por abusar sexualmente de duas adolescentes, de 12 e 14 anos, foi preso na terça-feira (13) na sede da 87ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM), em Teixeira de Freitas. Segundo a PM, o policial, que não teve o nome divulgado, se apresentou voluntariamente por volta das 19h, pois já tinha sido decretada a prisão preventiva pela Vara Crime de Medeiros Neto.


O PM era lotado na 44ª CIPM em Medeiros Neto e, após a acusação, foi afastado e encaminhado para atividade administrativa da 87ª CIPM (Foto: Reprodução/StreetView)
O PM era lotado na 44ª CIPM em Medeiros Neto e, após a acusação, foi afastado e encaminhado para atividade administrativa da 87ª CIPM (Foto: Reprodução/StreetView)


O policial começou a ser investigado depois que as famílias das garotas fizeram a denúncia na delegacia da cidade, no dia 28 de setembro. As adolescentes têm 12 e 14 anos e trabalharam fazendo serviços domésticos na casa do PM. Ainda de acordo com a PM, ele era lotado na 44ª CIPM em Medeiros Neto e, após a acusação, foi afastado da atividade operacional por medida preventiva e encaminhado para atividade administrativa da 87ª CIPM até o fim da apuração do processo.
O policial está custodiado no 13º Batalhão de Ensino, Instrução e Capacitação de Teixeira de Freitas (Beic). Ele responde também a um procedimento administrativo na 44ª CIPM.

Investigação
Segundo informações da delegacia, a garota de 14 anos chegou a trabalhar como babá para o filho do PM, mas deixou a função depois que se desentendeu com a esposa do policial.  As duas trabalharam na casa do policial por cerca de um ano, mas os supostos abusos só vieram à tona recentemente. A PM divulgou nota informando que o caso está sendo averiguado com cuidado e destacando que o policial negou "de forma veemente" as acusações que recebeu.  

Leia:
"A Polícia Militar da Bahia esclarece que recebeu denúncia sobre este fato e imediatamente instaurou um procedimento apuratório para evidenciar as reais circunstâncias da denúncia. O suspeito quando ouvido sumariamente negou de forma veemente as acusações que lhe recaem.
Em razão da gravidade e sensibilidade de uma denúncia com tais termos, o comando da unidade a que pertence o policial optou por afastá-lo da atividade operacional e empregá-lo na atividade administrativa. É importante termos cautela neste momento e apurar de forma criteriosa a situação para evitarmos qualquer tipo de injustiça. Ao final da apuração, que deve durar 30 dias, restando provado a suspeita levantada, o policial será responsabilizado penal e administrativamente".
Compartilhar Google Plus

Caixa de comentários

0 Comentários:

Postar um comentário