TRE confirma cassação do prefeito de Tanhaçu por compra de votos

A denúncia de compra de voto foi publicada com exclusividade pelo CORREIO em 2 de outubro daquele ano, com base em dois vídeos

Informações Correio24horas
O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) manteve ontem, por 4x3, a cassação do prefeito de Tanhaçu, João Francisco (PT), acusado de oferecer dinheiro e vantagens em troca do apoio de uma casal de comerciantes nas eleições de 2012.


João Francisco (de branco) foi flagrado por câmeras que vigiavam babá (Foto: Reprodução)
João Francisco (de branco) foi flagrado por câmeras que vigiavam babá (Foto: Reprodução)
A denúncia de compra de voto foi publicada com exclusividade pelo CORREIO em 2 de outubro daquele ano, com base em dois vídeos. Neles, o prefeito, que foi candidato à reeleição, oferece cargos na prefeitura por meio de fraude em concurso público, direcionamento de licitação e pagamento em dinheiro para conseguir o apoio de Josiane Martins e Jorge Paulo Lima.
Ambos são donos de um restaurante e integrantes de uma conhecida família de políticos da cidade do Sudoeste baiano. As imagens que revelaram o crime eleitoral foram captadas por meio de câmeras ocultas colocadas na casa para vigiar a babá. Em fevereiro do ano passado, João Francisco teve o mandato cassado pelo juiz da 196ª Zona Eleitoral (Tanhaçu), Rodrigo Souza Britto, o petista recorreu ao TRE, mas a decisão acabou empatada na corte.
O voto de Minerva coube ao presidente do tribunal, desembargador Lourival Trindade, que votou ontem a favor da cassação do prefeito e do vice, Valdívio Aguiar Filho. De acordo com a decisão, os acusados deverão ficar inelegíveis por oito anos, contados a partir de outubro de 2012. Contudo, o petista ainda pode questionar a decisão por meio de embargos de declaração junto ao próprio TRE ou de recurso ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
Compartilhar Google Plus

Caixa de comentários

0 Comentários:

Postar um comentário