Médica é baleada em tiroteio entre ladrões e PM em Vitória da Conquista

Bandidos planejavam assaltar a casa da cardiologista

Informações Correio24hs
Polícia chegou a tempo de impedir bandidos de fugirem com vítima (Foto: Blog do Anderson)
Polícia chegou a tempo de impedir bandidos de fugirem com vítima (Foto: Blog do Anderson)
Uma médica cardiologista foi baleada durante um tiroteio entre assaltantes e polícia em Vitória da Conquista, no sudoeste baiano, nesta quinta-feira (18). A médica Neuza Correia, que mora em uma residência apenas com o filho, foi abordada quando saia de casa, no bairro de Candeias, por quatro homens. Dois deles estavam armados com revólveres e renderam a mulher. Segundo a polícia, a intenção dos bandidos era assaltar a casa. Eles chegaram em um Palio.
Operários que trabalhavam em uma obra vizinha à casa ouviram a ação dos ladrões e acionaram a Polícia Militar. Os PMs conseguiram chegar ao lugar rapidamente, impedindo que os bandidos saíssem da casa com a vítima no carro dela e abordaram os assaltantes. Houve confronto e troca de tiros. Três dos suspeitos foram baleados - dois morreram e um está internado no Hospital Geral de Vitória da Conquista, sob custódia. O quarto, que dirigia o carro e estava do lado de fora observando e dando cobertura, foi preso e está detido na 23ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin).
Bandidos estavam saindo com médica quando PM chegou (Foto: Reprodução/TV Bahia)
Bandidos estavam saindo com médica quando PM chegou (Foto: Reprodução/TV Bahia)
Segundo o delegado Marcus Vinicius, coordenador da 23ª Coorpin, a polícia acredita que alguém conhecido da família estava passando informações privilegiadas à quadrilha. "A casa já estava sendo visada, sendo observada. Eles sabiam o horário de saída, sabiam quem morava ali. Já tinham informações sobre a família", explica o delegado. "Nós agora vamos investigar para chegar nessa pessoa que passou as informações".
Há câmeras de segurança próximas à entrada da casa. " A polícia está tentando captar todas essas imagens para ajudar a entender como tudo aconteceu", acrescenta o delegado. Embora os bandidos tenham feito a médica de refém e aparentemente estivessem prestes a sair da casa com ela, o delegado descarta um sequestro. "Eles queriam roubar". 
Os suspeitos mortos ainda não foram identificados. A médica, que foi amarrada e feita de refém, está internada no Hospital Samur. Não há detalhes sobre seu estado de saúde.
Compartilhar Google Plus

Caixa de comentários

0 Comentários:

Postar um comentário