Professora é estrangulada e morta dentro da própria casa em Teixeira de Freitas

A vítima foi encontrada por vizinhos, no banheiro da residência, somente de calcinha. Ela era professora do 5º ano fundamental

Informações Correio24hs Uma professora de Teixeira de Freitas, no Sul da Bahia, foi encontrada morta dentro da própria casa, com sinais de estrangulamento. De acordo com a delegacia da cidade, o corpo de Cleude Alves Pereira, 48 anos, foi localizado por vizinhos da professora neste domingo (19). A vítima estava no banheiro da residência, somente de calcinha, com marcas de esganadura no pescoço e cortes atrás da orelha.


Ela era professora do 5º ano (Foto: Reprodução/Sul Bahia News)
Ela era professora do 5º ano (Foto: Reprodução/Sul Bahia News)
A casa da professora, que morava sozinha no local e dava aulas no 5º ano do ensino fundamental, estava completamente revirada. Diversos objetos não foram encontrados na residência, que fica situada na rua Dois Irmãos, em um bairro no Centro da cidade.
Por conta disso, a Polícia Civil investiga se o crime foi um latrocínio - roubo seguido de morte. Cleude era funcionária do Colégio Municipal Manoel Cardoso Neto.
"Estamos fazendo camisetas, e organizando um movimento de repúdio à violência para externar a nossa indignação com o crime", comentou Rose Ângela Andrade, diretora da escola onde Cleude trabalhava, em entrevista ao Correio24horas
"Este não é a primeira vez que este tipo de violência acontece nos últimos meses, mas queríamos que fosse o último", lamentou. Em luto pela morte da professora, que também dava aulas de supletivo no turno noturno para jovens e adultos, a escola cancelou todas as aulas nesta segunda-feira (20). 
O corpo de Cleude Alves Pereira foi enterrado hoje, às 11h30, no cemitério Campo Santo, em Itabuna, onde os familiares da professora moram. Por ser encontrada morta usando somente uma calcinha, a Polícia Civil também investiga se a educadora foi vítima de algum tipo de violência sexual. Ainda não há informações sobre suspeitos de participarem do crime.  
Compartilhar Google Plus

Caixa de comentários

0 Comentários:

Postar um comentário