'Chuva de chumbo', diz pastor após ser baleado em culto na Bahia; fotos

Homem atingiu 3 pessoas durante celebração em povoado de Dom Basílio.
Mesmo ferido, pastor Adão Nunes ainda conseguiu capturar suspeito.


Informações G1 BA
Pastor mostra marcas de disparos efetuados por homem durante culto (Foto: Fabiano Neves / site www.destaquebahia.com.br)
Pastor mostra marcas de disparos efetuados por homem durante culto (Foto: Fabiano Neves / site www.destaquebahia.com.br)
O pastor baleado durante culto evangélico no distrito de Caiçara do Pio, no município de Dom Basílio, a cerca de 577 quilômetros de Salvador, acredita que tenha sobrevivido por "obra divina". Adão Nunes foi atingido por cinco disparos na sexta-feira (13) e, mesmo ferido, conseguiu capturar o suspeito.
“Estou bem, fazendo meus cultos normalmente. Considero que Deus nos deu um grande livramento. Não tenho dúvida que foi obra de Deus”, disse o pastor ao G1. Baleado na barriga e nas duas pernas, Nunes foi uma das três pessoas atingidas. Todos foram hospitalizados, mas sem ferimentos graves.
Polícia apreendeu arma e faca com suspeito (Foto: Fabiano Neves / site Www.destaquebahia.com.br)
Polícia apreendeu arma e faca com suspeito (Foto:
Fabiano Neves / site Www.destaquebahia.com.br)
O homem suspeito do crime continua preso nesta quarta-feira (15). Ele foi transferido para o município de Livramento de Nossa Senhora, a 29 quilômetros de Dom Basílio. Segundo o pastor, o homem estava incomodado o culto e foi pedido para que ele deixasse o local. Minutos depois, o suspeito voltou com uma arma carregada com várias munições de chumbo.
“Ele veio do nada criticando todo mundo e a gente pediu que ele se retirasse. Aí ele foi em casa, pegou a arma e atirou. Foi uma chuva de chumbo, gritaria de mães, que saíram correndo com os filhos. Depois que descarregou a arma ele perguntou se a gente queria mais. Nisso ele se afastou e fugiu. Mas a gente correu e conseguiu prender ele”, recorda o pastor.
Adão Nunes conta que trabalha há três meses na cidade e que não conhece o homem. Graças a Deus nenhuma criança foi atingida. Foi um ato inusitado, mas ja está passando. O médico disse que nenhum chumbo chegou a ficar dentro do corpo. Então, no outro dia já estava celebrando e continuando o trabalho".
Segundo a Polícia Militar, o suspeito aparentava estar embriagado e relatou no momento da prisão que estava incomodado com barulho feito pelos fiéis, que estavam reunidos numa residência vizinha.
Compartilhar Google Plus

Caixa de comentários

0 Comentários:

Postar um comentário