OMS considerará vício em jogos de videogame como um distúrbio

Alguns países, como o Reino Unido, já haviam identificado essa condição como um problema importante para a saúde pública

Informações bahia.ba
(Foto: GettyImages)

Agora, os nerds de plantão têm mais um motivo para ouvir suas mães.  Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o vício em
videogames e outras atividades digitais vai entrar na Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde (CID).
A condição será intitulada como “distúrbio de games” e tem como meta a auxiliar o tratamento do comportamento persistente de vício que leva o indivíduo “a preferir os jogos a qualquer outro interesse na vida”. Uso excessivo de computadores e smartphones também se qualifica como tal. Segundo a OMS, uma pessoa precisa ser observada por 12 meses antes de ser diagnosticada com vício em games.

Alguns países já haviam identificado essa condição como um problema importante para a saúde pública – o Reino Unido, têm clínicas autorizadas a tratar o distúrbio. A medida faz parte da primeira alteração feita pela OMS na relação em 26 anos.
“É muito significativo, porque cria a oportunidade de termos serviços mais especializados. Ele coloca (esse distúrbio) no mapa como algo a ser levado a sério”, declarou Richard Graham, especialista em vícios em tecnologia no Hospital Nightingale em Londres.
Compartilhar Google Plus

Caixa de comentários

0 Comentários:

Postar um comentário