Motorista é condenado a 22 anos por estuprar e matar adolescente na BA

Crime foi em Teixeira de Freitas, em 2014; condenado era vizinho da vítima

Informações Correio24horas

O motorista Ismael de Jesus Moraes, 31 anos, foi condenado nesta terça-feira (5) a 22 anos e seis de prisão pelo estupro e morte da adolescente Cassiane Lima, 15, em Teixeira de Freitas, no Extremo Sul da Bahia. O crime aconteceu em 2014.
O julgamento começou ontem e durou 16 horas, terminando na madrugada de hoje. O motorista era vizinho da adolescente, que foi assassinada e teve o corpo escondido em uma plantação de eucalipto às margens da BR-101. O corpo foi encontrado seis dias depois que a adolescente desapareceu.
Ismael foi acusado por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver. A defesa pode recorrer. Ele está preso no presídio de Teixeira de Freitas.
(Foto: Reprodução)
Crime
A estudante Cassiane Lima dos Santos havia sido vista pela última vez no dia 27 de novembro de 2014, quando a mãe se despediu dela para ir ao trabalho. Ao retornar para casa, no horário de almoço, a mãe ficou preocupada pois a menina havia sumido. 
"Quando ela viu que a menina não estava em casa, e que o celular tinha ficado, ela se preocupou", disse a então titular da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), Cátia Guimarães, ao Correio24horas.
A menina ficava em casa pela manhã, enquanto os dois irmãos mais novos iam para a escola. De tarde, a situação se invertia. "Ela tinha um relacionamento excelente com a família. Jamais sairiria de casa sem deixar um bilhete para a mãe, avisando onde estava", contou a titular.
A cama da menina estava molhada de xixi, e somente a roupa que a menina usava de manhã, um babydoll, não estava em casa. A porta da residência também estava aberta. A mãe de Cassiane informou o desaparecimento à polícia da cidade, que passou a investigar o caso.
Vizinho se torna suspeito
Motorista confessou o crime

No dia seguinte, a mãe lembrou de um fato importante: Cassiane já tinha sido assediada anteriormente pelo vizinho delas, Ismael de Jesus Moraes. O suspeito é casado e tem três filhos com a companheira. Ele trabalhava como motorista de uma cervejaria na cidade.
Na noite anterior ao crime, a família dele tinha dormido na casa da sogra do motorista, e ainda não tinha retornado. Ainda segundo a a polícia, ele já tinha sido preso anteriormente por desmanche e receptação de carros roubados, além de também responder por estupro de vulnerável na cidade de Prado, em 2007.
"Ela nos informou de um buraco entre os muros das casas vizinhas, e de que ele poderia ter passado por ali, como já havia feito anteriormente", relata a delegada Cátia. "Verificamos que no dia em que Cassiane desapareceu, Ismael chegou no trabalho com quase uma hora de atraso, e justificou dizendo que tinha passado mal", conta.
Testemunhas do caso foram ouvidos pela polícia, e alguns fios de cabelo foram encontrados no porta-malas do carro do acusado. A mãe da jovem reconheceu a possibilidade dos fios serem da filha, e a polícia coletou material dela para realizar um exame de DNA.
Durante este processo, o motorista foi ouvido na 8ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin). "Ele entrou em algumas contradições, e por causa disto entramos com o pedido de prisão temporário dele", afirma a delegada Cátia.
Pai implora para que filho confesse o crime; jovem foi esganada por vizinho
Ismael foi preso pouco depois. "O pai dele, que já sabia que o filho tinha feito algo com Cassiane, implorou para que ele contasse tudo", relata a titular. Foi quando o motorista confessou o crime, e apontou o local onde deixou o corpo da estudante.
Cassiane foi encontrado em uma fazenda de eucaliptos situada a 30 quilômetros de Teixeira de Freitas. A jovem estava com um arame no pescoço, e sem a parte de baixo do babydoll. Segundo a polícia, a perícia inicial apontou que houve abuso sexual, mas Ismael nega.
"Ele disse que entrou na casa e tentou ficar com ela, mas que a garota não quis e reagiu. Por conta disso, ele começou a esganá-la e em seguida quebrou o pescoço dela", conta a delegada.
O acusado não percebeu que a vizinha tinha morrido, e achou que a garota apenas sofreu um desmaio. "Ele então pegou um arame, terminou de sufocar a menina, colocou ela no fundo do carro e jogou o corpo neste local [no campo de eucaliptos]".
Quando o motorista saiu do trabalho, ele voltou ao local do crime e enterrou o corpo de Cassiane em uma cova rasa, coberta com folhas de palmeiras.
"Ele nega que estuprou a jovem, mas a perícia aponta que houve abuso sim. No entanto, a confirmação da violência sexual só poderá ser feita depois que o resultado dos laudos saírem, em até 20 dias", afirma a delegada Cátia. Os exames foram enviados para Salvador.
Compartilhar Google Plus

Caixa de comentários

0 Comentários:

Postar um comentário