HBO começa a caçar quem pirateia 'Game of Thrones'

Informações Olhar Digital
(Foto: Reprodução)

A volta de "Game of Thrones" tradicionalmente movimenta o mundo da pirataria e, como desta vez não está sendo diferente, a HBO, dona da série, passou a se mexer para tentar conter quem quer ver o programa de forma "alternativa".
O primeiro episódio da sétima temporada caiu na internet pouquíssimo tempo após sua exibição nos Estados Unidos, disparando as ocorrências de downloads ilegais. Então o canal acionou a IP Echelon, sua parceira na luta antipirataria, para enquadrar os infratores.
O TorrentFreak descobriu que a empresa está mandando notificações às operadoras responsáveis por IPs flagrados baixando o episódio em questão. Ao menos cinco arquivos disponíveis em sites como Pirate Bay estão sendo monitorados: Game.of.Thrones.S07E01.720p.WEB.h264-TBS[eztv].mkv, Game.of.Thrones.S07E01.HDTV.x264-SVA[rarbg], Game.of.Thrones.S07E01.WEB.h264-TBS[ettv], Game.of.Thrones.S07E01.HDTV.x264-SVA[eztv].mkv e Game.of.Thrones.S07E01.720p.HDTV.x264-AVS[eztv].mkv.
Na carta, obtida pelo site, a IP Echelon lembra que a HBO é dona exclusiva dos direitos sobre "GoT" e até dá uma dica de segurança: "Baixar conteúdo não autorizado ou desconhecido também é um risco de segurança para computadores, dispositivos e redes."
A empresa encoraja os provedores a apresentar alternativas legais aos clientes, como a inclusão do canal HBO num pacote de TV paga ou a assinatura do serviço de streaming da companhia. Como ressalta o TorrentFreak, nos Estados Unidos, as operadoras não têm obrigação legal de repassar o aviso aos clientes, mas elas costumam fazê-lo por cortesia.
Embora tenha o endereço de IP de cada infrator, a HBO teria que acionar a Justiça caso quisesse identificá-los, mas o canal não tem um histórico de perseguir os piratas até o fim, esperando que esse tipo de notificação desencoraje ao menos uma parte deles.
Apesar de esse jogo de gato e rato ter se tornado tradicional ao longo dos anos, a HBO — e todos os outros detentores de direitos autorais — tem de lidar com um componente relativamente novo agora: os serviços de streaming pirata. Não dá para monitorar quem usa esse artifício para consumir conteúdo pirateado.
Compartilhar Google Plus

Caixa de comentários