Bahia não bate metas de 2015 para a educação

Índice brasileiro reduziu desigualdade, mas ainda deixa 2,5 milhões de crianças e adolescentes fora da escola

Informações bahia.ba
(Foto: Suami Dias / GOVBA)

O cenário de educação na Bahia segue fora dos trilhos. Abaixo da média brasileira em todos as metas propostas pelo movimento Todos Pela Educação (TPE), o estado tem cerca de 211 mil crianças e adolescentes fora da escola e apenas 47% de jovens conseguem concluir o ensino médio. Atualmente, 94% dos baianos de 4 a 17 anos estão na rede de ensino. Para chegar à meta de 100% em 2022, o índice deveria ter chegado a pelo menos 96,2% em 2015.
De acordo com o estudo, que analisou dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad) de 2015, demonstra ainda que o acesso à escola até melhorou nos últimos dez anos, mas a qualidade ainda deixa a desejar, o que afasta ainda mais os alunos com problemas sociais que não vêem na conclusão do ensino uma oportunidade de vida melhor.
Brasil No cenário nacional, o país também conseguiu aumentar o acesso de parcelas mais vulneráveis da população à escola. De 2005 a 2015, o acesso daqueles que têm de 4 a 17 anos aumentou principalmente entre a população parda e negra, entre os de baixa renda e moradores do campo. Os avanços foram maiores do que os registrados entre brancos, ricos e moradores da zona urbana. Mas os especialistas do Todos Pela Educação chamam a atenção para o número de crianças e adolescentes fora da escola.
“Temos que tomar cuidado quando se diz que estamos quase universalizando. Esse discurso tirou pressão nos governos”, diz Priscila Cruz, presidente executiva movimento. “É a questão que mais deveria envergonhar os brasileiros, saber que temos 2,5 milhões de crianças e jovens fora da escola em pleno século 21”, completou.
Compartilhar Google Plus

Caixa de comentários