Tremor sentido na Bahia não foi abalo sísmico, diz centro

De acordo com o Centro de Sismologia da USP ainda não há diagnóstico conclusivo sobre as causas dos tremores, mas linha de investigação já tem uma hipótese

Informações bahia.ba
(Foto: Manu Dias / GOVBA)

O Centro de Sismologia da Universidade de São Paulo (USP) disse que os tremores e estrondo ouvidos e sentidos por moradores de Salvador e cidades da Região Metropolitana na manhã deste domingo (26) não foi um abalo sísmico.
Conforme nota divulgada no site do centro, no final na noite desde domingo, “caso as vibrações tivessem sido causadas por um tremor de terra, o tamanho da área de percepção teria um raio de 20 km, e indicaria uma magnitude de pelo menos 3 na escala Richter” o que não aconteceu, pois nenhuma das estações da Rede Sismográfica Brasileira registrou qualquer sinal que pudesse ser associado a um abalo sísmico na capital baiana e adjacências.
Ainda de acordo com o órgão, os tremores e trepidações ainda não têm uma causa conhecida, mas uma possível linha de investigação sugerida é a quebra de barreira do som por jatos da Força Aérea nacional.
Meteoro – Já o geólogo Carlos Uchoa apontou, em entrevista para o Jornal da Manhã da TV Bahia desta segunda-feira (27), a possibilidade da queda de um meteoro ou uma reativação de uma falha geológica ter provocado o estrondo e tremores.
De acordo com especialista, há duas hipóteses: “uma é reativação de falhas geológicas na Baía de Todos-os-Santos, isso é comum ao longo das últimas décadas, vários sismos têm acontecido lá. E como teve relato de feixe de luz, é possível que tenha sido a queda de um meteoro que causou o barulho e o tremor nas casas das pessoas”.
Compartilhar Google Plus

Caixa de comentários