Pesquisadores descartam relação de pescados com doença misteriosa

A suspeita mais plausível é de que a doença seja causada por um vírus que, até então, não foi identificado pelos estudiosos

Informações bahia.ba
(Foto: Ascom / SEAGRI)


Os pesquisadores do Laboratório de Virologia do Instituto de Saúde Coletiva (ISC) da Universidade Federal da Bahia (Ufba) descartaram a relação da “doença misteriosa” que até agora tem sido chamada de “mialgia aguda” com o consumo de pescados.
Conforme as investigações científicas da equipe, não há indícios de toxinas nas amostras de sangue, fezes e urina cedidas pelo Hospital Aliança, em Salvador – local onde os primeiros pacientes acometidos por dores musculares agudas de início súbito e urina de cor escura foram atendidos em dezembro do ano passado.
Segundo o virologista responsável pela pesquisa, Gúbio Soares, disse ao A Tarde, a suspeita é de que a doença seja causada por um vírus que, até então, não foi identificado. Conforme os dados da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab),  52 casos suspeitos da doença foram registrados até esta quarta-feira (18). Deles, menos da metade relatou o consumo de pescados. Também foram identificados casos suspeitos da mialgia aguda no Ceará.
Compartilhar Google Plus

Caixa de comentários