Fiscalização resgatou 70 pessoas em trabalho escravo na Bahia em 2016

O dado foi divulgado no lançamento da nova Revista Baiana da Inspeção do Trabalho

Informações bahia.ba
(Foto: Humanrights.org)


O estado da Bahia resgatou no ano passado 70 trabalhadores em situação análoga à escravidão. As autuações ocorreram em 19 operações de fiscalização integrada que acontecem ao longo de 2016 em 28 municípios do estado. O dado foi divulgado nesta quinta-feira (26), no lançamento da nova Revista Baiana da Inspeção do Trabalho, realizada pelos integrantes do painel Panorama do Combate ao Trabalho Escravo no Brasil, na Semana Nacional de Combate ao Trabalho Escravo.
Segundo o coordenador de combate ao trabalho escravo do Ministério Público do Trabalho (MPT) na Bahia, o procurador Ilan Fonseca, um dos principais obstáculos para que a prática seja banida ainda é a falta de conscientização.
Conforme os organizadores do Sindicato dos Auditores Fiscais do Trabalho (Safiteba), a Revista Baiana de Inspeção do Trabalho tem o objetivo de ser um espaço para apresentação de artigos sobre relações de trabalho, com foco na atuação dos auditores e chega ao seu segundo número e reúne reflexões importantes para todos os que se interessam pelas relações de trabalho no Brasil.
Compartilhar Google Plus

Caixa de comentários