Encantos naturais da Chapada Diamantina vão além do Parque Nacional

Quando a estação turística é alta na Chapada Diamantina, há alguns recantos ainda vazios de público

Informações Jornal da Chapada
O Rio Santo Antônio contém multicores em locais diferenciados, a depender da localização e da quantidade de águas em determinado período climático (Foto: Reprodução/Rogério Mucugê)
O Rio Santo Antônio contém multicores em locais diferenciados, a depender da localização e da quantidade de águas em determinado período climático (Foto: Reprodução/Rogério Mucugê)

A Chapada Diamantina tem muito mais a oferecer para além dos limites definidos do Parque Nacional da Chapada Diamantina (PNCD), conforme provam os integrantes do Grupo Ambientalista da Bahia (Gambá), que identificou dezenas de atrativos turísticos selvagens e culturais, vendidos e não, na região. Pelas contas do grupo se um visitante quiser conhecer todos os atrativos da Chapada Diamantina, terá que reservar mais do que dois meses para conseguir chegar próximo à sua meta.
Um bom exemplo é o Rio Santo Antônio, que começa a ser chamado assim a partir do encontro do Rio Preto que nasce no PNCD e atravessa a cidade de Palmeiras, com o Rio da Pratinha, que nasce no município de Iraquara. Após este encontro ele percorre o Vale do Cercado, e depois de atravessá-lo, recebe as águas dos Rios Mucugezinho, Utinga, Lençóis, São José, etc, e forma o pantanal do Marimbus entre Lençóis e Andaraí, desembocando no rio Paraguaçu.
Quando a estação turística é alta na Chapada Diamantina, há alguns recantos ainda vazios de público, como os atrativos do alto trecho do rio Santo Antônio, localizados na Área de Proteção Ambiental Estadual Marimbus/Iraquara. Ao contrário das águas escuras da maior parte da Chapada devido ao tanino das plantas e ao óxido de ferro presente nas rochas, o Rio Santo Antônio contém multicores em locais diferenciados, a depender da localização e da quantidade de águas em determinado período climático.
Dentre os atrativos do alto Santo Antônio, somente os da Fazenda Pratinha tem alta visitação, com infraestrutura já montada. O rio Santo Antônio, dentre os 10 principais afluentes do rio Paraguaçu, é um dos mais preservados, segundo mapeamento do uso e ocupação do solo do Projeto Semeando Águas no Paraguaçu.
E mantém ainda significativa cobertura vegetal em suas margens. Em seu alto trecho há uma diversidade de formações rochosas, em um ambiente que começa na caatinga com seu rico solo e continua no cerrado, com suas lindas flores. Surpresa ainda é encontrar uma pequena comunidade de agricultores familiares no vale do Cercado: o Sitio do Meio. Vale a pena conhecer. As informações são do Blog de Rogério Mucugê.
Compartilhar Google Plus

Caixa de comentários