Bahia investe apenas 7% da verba para combate ao aedes aegypti

Segundo investigações, mais de R$ 130 milhões enviados a 13 estados e DF para suprir os impactos da ação do mosquito ainda não foram utilizados

Informações bahia.ba
(Foto: Reprodução/Rede Globo)

Um levantamento realizado pelo Ministério da Transparência e Controladoria Geral da União (CGU) na Bahia e em outros 12 estados, além do Distrito Federal, descobriu que mais de R$ 130 milhões em verbas para o combate ao mosquito aedes aegypti permanece sem uso.
Segundo reportagem do Bom dia Brasil, da Rede Globo, os órgãos fiscalizadores constataram que os recursos enviados à Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) foram mal administrados e pouco foi investido em ações diretas contra o transmissor da dengue, Zika Vírus e Febre Chikungunya.
De acordo com a emissora, apenas 7,36% da verba direcionada para a Vigilância em Saúde foi aplicada até o momento, enquanto o município de Itabuna, no sul do estado, registrou mais de 46 mil casos das doenças transmitidas pelo aedes até julho deste ano.
A apuração também apontou que a quantidade de inseticida e larvicida enviada para as cidades do interior foi inferior à solicitada para as ações de prevenção.
Os dados coletados pelas investigações foram encaminhados para os ministérios da Saúde (MS), Público Federal (MPF), Público Estadual (MP-BA) e para os tribunais de Contas da União (TCU) e do Estado (TCE).
Compartilhar Google Plus

Caixa de comentários