Bloqueio de celulares roubados passa a ser feito pela Polícia Civil na Bahia

Dono da linha precisa se dirigir a uma delegacia com os documentos pessoais e preencher um formulário solicitando o bloqueio

Informações Correio24horas

O bloqueio de celulares roubados ou furtados passaram a ser feitos pela própria polícia. A informação foi divulgada nesta segunda-feira (4), pelo diretor do Departamento de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP), delegado Moisés Damasceno.
Para isso, basta que o dono da linha se dirija até uma delegacia com os documentos pessoais e preencha um formulário solicitando o bloqueio. Para os aparelhos registrados em nome de pessoas físicas, o titular do número precisa registrar uma ocorrência de furto ou roubo em qualquer unidade policial com uma cópia do seu RG, CPF e comprovante de residência. 
No caso de telefones habilitados em contas de pessoas jurídicas, o responsável deverá apresentar o Cartão do CNPJ e um documento que o habilite como representante legal. Entretanto, em ambos os casos, é necessário a apresentação do IMEI do aparelho, ou seja, uma sequência com 15 números que está registrada no próprio aparelho telefônico ou na embalagem do mesmo.
As ocorrências registradas na Bahia vão ser encaminhadas ao Núcleo de Estações Móveis Impedidas (NEMI) para o bloqueio de celulares. De acordo com a Polícia Civil, a Bahia é o primeiro estado no Brasil a utilizar o Cadastro de Estações Móveis Impedidas (CEMI), sistema da Associação Brasileira de Recursos em Telecomunicações (ABR-Telecom) para o bloqueio de aparelhos celulares.  
A Polícia Civil da Bahia já vinha realizando o bloqueio de aparelhos não vinculados a linhas telefônicas que ainda não foram habilitados, oriundos de roubos de cargas ou assaltos em lojas de varejo desde dezembro do ano passado. Nesses casos, o comunicante deve apresentar cópia do seu RG, CPF e comprovante de residência, um documento que o habilite como representante legal da empresa, Cartão CNPJ e uma planilha com os números de IMEIs dos aparelhos roubados.
Compartilhar Google Plus

Caixa de comentários

0 Comentários:

Postar um comentário