Tartaruga em extinção é ferida durante desova em Porto Seguro

Homem agrediu animal com facão e fugiu com chegada da polícia na Bahia.
Ibama informou que vai realizar indução para retirada dos ovos do animal.


Informações G1 BA
Tartaruga-de-pente é ameaçada de extinção (Foto: CIPPA/ Porto Seguro)
Tartaruga-de-pente é ameaçada de extinção
(Foto: CIPPA/ Porto Seguro)
Uma tartaruga marinha da espécie "Eretmochelys imbricata", conhecida como tartaruga-de-pente, foi resgatada após ser ferida gravemente com golpes de faca por um homem ainda não identificado na praia de Porto Seguro, região turística no sul da Bahia.
Segundo informações do Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), a agressão ocorreu no domingo (21).
O animal, cuja espécie é ameaçada de extinção e pesa cerca de 80 kg, foi resgatado por policiais militares da Companhia Independente de Polícia de Proteção Ambiental de Porto Seguro (Cippa) e nesta quinta-feira (25) ainda recebe cuidados do Ibama.
De acordo com a equipe médica-veterinária, a tartaruga apresenta duas lesões de aproximadamente 15 cm de comprimento no casco e uma lesão profunda na cabeça, com cerca de 6 cm de profundidade, ocasionadas pelos golpes, que deixaram expostos tecidos internos do animal e provocaram hemorragia.
Através de exames, os veterinários confirmaram a presença de ovos no interior da tartaruga. Segundo o Ibama, a indução para retirada dos ovos só poderá ser feita após um período mínimo de 15 dias, tempo necessário para estabilizar a condição de saúde do animal.
De acordo com o órgão ambiental, a tartaruga-de-pente costuma desovar no litoral da Bahia e é uma espécie criticamente ameaçada de extinção, conforme Lista Nacional Oficial de Espécies da Fauna Ameaçadas de Extinção, do Ministério do Meio Ambiente, e classificação da União Internacional para Conservação da Natureza (IUCN).
A Lei dos Crimes contra o Meio Ambiente estabelece pena de detenção e multa de R$ 5 mil para quem matar, perseguir, caçar, apanhar ou utilizar espécimes da fauna silvestre, sem a devida licença ou autorização. Também é crime consumir carne e ovos de tartarugas marinhas e impedir a sua procriação. A pena ser aumentada por se tratar de espécie ameaçada de extinção.
O Ibama orienta que tartarugas avistadas na praia não devem ser incomodadas. É preciso respeitar o caminho utilizado pelos animais desde o mar até a praia, não tirar fotos com flash, não usar focos de luz ou lanternas e não fazer fogueiras nas praias.
Compartilhar Google Plus

Caixa de comentários

0 Comentários:

Postar um comentário