Inscrições para bolsas do Prouni abrem na terça-feira (19)

MEC não divulgou número de bolsas; em 2015 foram 6,2 mil na Bahia

Informações Correio24horas
Em três anos no ensino superior, a estudante de Ciências Contábeis Aline Pedreira estima que já economizou mais de R$ 20 mil. Isso porque todo o curso é custeado por uma bolsa do Programa Universidade para Todos (ProUni). A estudante só consegue frequentar a faculdade por causa do programa federal, já que atualmente a mensalidade é de cerca de R$ 850.
Quem vive essa mesma situação ou já sabe que vai ficar de fora do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) também pode tentar uma das bolsas do ProUni, que abre inscrição na próxima terça-feira — um dia após a divulgação do resultado do Sisu.
O Ministério da Educação (MEC) ainda não divulgou o número de bolsas disponíveis neste semestre, mas no ano passado foram ofertadas  6,2 mil vagas na Bahia e 116 mil no país. Por meio da assessoria de comunicação, o ministério informou que os estudantes devem ficar atentos às publicações oficiais no site para saber mais detalhes sobre o programa.
Aline é beneficiária do Prouni, que oferece bolsas de estudos em faculdades privadas (Foto: Evandro Veiga/CORREIO)
Aline é beneficiária do Prouni, que oferece bolsas de estudos em faculdades privadas (Foto: Evandro Veiga/CORREIO)

Para fazer a inscrição, é preciso ter feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2015 e obtido, no mínimo, 450 pontos na média das notas e não ter tirado zero na redação.
Só pode concorrer quem concluiu o ensino médio na rede pública ou se formou na rede particular na condição de bolsista integral. São ofertadas bolsas integrais e parciais. Quem já tem o ensino superior não pode concorrer ao benefício.
Prestígio
Como o assistente administrativo Marcos Ferreira dos Santos, 30 anos, ainda não tem certeza se garantiu a vaga em Ciências Econômicas na Ufba pelo Sisu, já está cogitando a possibilidade de concorrer a uma bolsa do ProUni. “A minha nota foi boa e, até a última nota de corte, eu estava dentro, mas só quando o resultado sair para ter certeza”, explica.
Cinco anos depois de abandonar o curso de História, ele resolveu fazer o Enem. “Eu busco uma melhor colocação no mercado de trabalho e também é uma realização pessoal. Depois da faculdade, eu quero fazer um mestrado e seguir carreira para lecionar”, conta.
Para a coordenadora de atendimento financeiro da Unifacs, Leila Lima, estudantes que conseguem benefícios do governo são vistos com um outro olhar pelo mercado de trabalho. “É um aluno que é interessado, que estuda, e, apesar de todos os transtornos, consegue se desenvolver e desempenhar uma boa nota para se manter na faculdade e garantir a bolsa até o fim do curso”, afirma. Isso porque os bolsistas não podem perder disciplinas ou correm o risco de não ter mais o benefício.
Inscrição
As inscrições devem ser realizadas no endereço siteprouni.mec.gov.br. Será necessário informar o número de inscrição e a senha usados no Enem e o CPF. O candidato pode fazer até duas opções de curso e instituição.
Para concorrer a bolsa integral, o candidato deve comprovar renda familiar por pessoa de até um salário mínimo e meio. Já para as bolsas parciais, a renda familiar deve ser de até três salários mínimos per capita. Só estão dispensados dos requisitos de renda os professores em efetivo exercício do magistério da educação básica, que fazem parte de quadro permanente de uma instituição pública – eles concorrem apenas a bolsas para cursos de licenciatura.
Nesta edição serão duas chamadas online: a primeira ficará disponível entre o dia 25 deste mês e 1º de fevereiro. Já a segunda será publicada no 12 de fevereiro e estará online até o dia 18 do mesmo mês. Os resultados estarão disponíveis no site do programa. Quem não for convocado em nenhuma das duas listas pode se candidatar às listas de espera entre os dias 26 e 29 de fevereiro. 
Compartilhar Google Plus

Caixa de comentários

0 Comentários:

Postar um comentário