Chuva ajuda no controle de focos de incêndio na Chapada Diamantina

Foram cerca de seis horas de chuvas na região, o que ajudou a controlar focos de incêndio e a umedecer a vegetação

Informações Correio24horas
(Foto: Mateus Pereira/GOVBA)


chuva que caiu na madrugada desta quinta-feira (26) ajudou os brigadistas a controlar os focos de incêndio na Chapada Diamantina que ainda persistiam na região. 
Há possibilidade de chuva também sobre a região de Lençóis, onde bombeiros e brigadistas lutam para acabar com vários focos de incêndio no Parque Nacional de Chapada Diamantina. De acordo com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBIO), o fogo foi controlado na Cachoeira das Três Barras, no município de Mucugê, no início da tarde de hoje. No início da noite, uma chuva começou a cair no município, aumentando as expectativas para que o fogo seja exterminado ainda nesta quinta.  
De acordo com o secretário do Meio Ambiente, Eugenio Spengler, foram cerca de seis horas de chuvas na região, o que ajudou a controlar os focos da Serra do Sobradinho e Morro Branco, no município de Palmeiras, e em Barro Branco, no município de Lençóis, ambos na região do Vale do Capão. "O fogo não foi totalmente dizimado, mas estão bem mais fracos e não foram noticiados novos focos", informou o secretário. 
Ainda de acordo com o secretário, a chuva apagou alguns focos pequenos e ajudou a umedecer a vegetação. "A chuva umedeceu a vegetação o que dificulta novos incêndios ou a proliferação de antigos focos", explica Spengler. Durante a tarde, choveu nos municípios de Seabra e Lençóis. 
(Foto: Mateus Pereira/GOVBA)

A Associação de Condutores de Visitantes do Vale do Capão (ACV-VC) informou que na sexta-feira (27) brigadistas vão subir a Serra do Sobradinho para fazer o rescaldo e monitoramento do local. Cerca de 40 brigadistas da ACV-VC continuam trabalhando no combate às chamas.  
Ainda de acordo com a associação, nenhuma trilha foi fechada para visitação por causa dos incêndios. "Os focos aconteceram em regiões de difícil acesso, chamadas de zonas intangíveis, então não houve necessidade de fechar nenhuma trilha. Mas se houver perigo, fechamos a trilha", esclarece uma guia da ACV-VC.
Investimento no combate
Até o momento, já foram investidos R$ 8,6 milhões de recursos estaduais em ações de prevenção e fiscalização de incêndios, além de formação e capacitação de brigadistas, compra de equipamentos de proteção, locação de aeronaves, vans e veículos tracionados, além de atividades de educação ambiental para sensibilização das comunidades. A estimativa do secretário do Meio Ambiente, Eugenio Spengler, é de que os incêndios tenham atingido uma área de 30 mil hectares. 
O combate às chamas segue sendo feito sete aviões (quatro contratados pelo Governo da Bahia, um cedido pela Força Aérea Brasileira e dois provenientes do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade - ICMBio) e mais três helicópteros (dois do Governo do Estado e um do Ibama). Combatem o fogo ainda 44 bombeiros militares do Distrito Federal e uma média de 40 a 50 militares do Corpo de Bombeiros da Bahia e mais 50 brigadistas voluntários.
Compartilhar Google Plus

Caixa de comentários

0 Comentários:

Postar um comentário