Promotor de vendas é indiciado por tentar seduzir criança de 5 anos na BA

Inquérito do caso foi encaminhado pela Polícia Civil nesta sexta-feira (20).
Suspeito de 30 anos chegou a ligar 24 vezes para vítima em apenas 1 dia.


Informações G1 BA
Em inquérito encaminhado nesta sexta-feira (20), o promotor de vendas suspeito de estupro de vulnerável por tentar seduzir, por telefone, uma criança de 5 anos, foi indiciado. A investigação foi conduzida pelo delegado Joelson Reis, da 23ª Delegacia Territorial, em Lauro de Freitas, na região metropolitana de Salvador. O suspeito de 30 anos conseguiu o número da casa da vítima após trocar aleatoriamente os últimos três digítos de um anúncio de jornal. Segundo a polícia, ele chegou a ligar 24 vezes para a casa da criança e insistia em uma conversa de cunho sexual.

Segundo a informações policiais, a Justiça acatou a denúncia e já reverteu a prisão preventiva em temporária. Ele continua custodiado na 12ª delegacia, em Itapuã, e deve ser levado ao presídio. A prisão foi no dia 12 deste mês. À polícia, ele confessou a prática e disse que usava o celular com número restrito. 
Homem preso ao tentar seduzir criança (Foto: Divulgação/PC)
Homem preso ao tentar seduzir criança (Foto: Divulgação/PC)
"Ele disse que viu um número de telefone em um anúncio de venda de carro em um jornal. Depois, ele trocou os dois últimos dígitos por números aleatórios, e a ligação caiu na casa da menina. Ele disse que esperava que uma mulher atendesse para poder fazer trote. Quando a criança atendeu, ele diz que ficou atraído pela voz da menina, que, segundo ele, é sensual", disse, no dia da prisão, o delegado Joelson Reis.
O vendedor começou a ser investigado após os pais da criança procurarem o Ministério Público da Bahia (MP-BA) e a Polícia Civil. Com autorização da Justiça, a polícia teve acesso às gravações das conversas. Segundo o delegado, a primeira ligação foi feita no dia 5 de janeiro.
Em depoimento, o suspeito contou que foi a primeira vez que sentiu atração por uma criança. "Ela dizia que era apenas uma criança de cinco anos, mas mesmo assim ele insistia em continuar as conversas. Ele admitiu a prática do crime, no intuito de satisfazer o prazer e a fantasia sexual. Não resta nehuma dúvida. Além disso, as escutas telefônicas das conversas são chocantes. É vergonhoso", disse o delegado. Caso seja condenado, pode pegar pena de 8 a 15 anos de prisão.
Compartilhar Google Plus

Caixa de comentários

0 Comentários:

Postar um comentário