Madrasta é presa após queimar enteado com água quente: "casa bagunçada"

Ao ser presa, madrasta contou que queimou o menino de nove anos porque ficou nervosa ao chegar em casa e ver o local sujo

Informações Correio24hs
(Foto: Aldo Matos/Acorda Cidade)
A madrasta de um menino de 9 anos foi presa em Feira de Santana, na terça-feira (25), acusada de torturar, prender e negar socorro ao enteado após queimá-lo com água quente. De acordo com a titular da Delegacia do Adolescente Infrator (DAI), Klaudine Passos, a jovem de 27 anos foi presa após uma denúncia anônima relatar que o menino sofreu queimaduras e estava preso em casa, agonizando.
O pai da criança também vai responder por não ter socorrido o filho. A situação aconteceu na última quinta-feira (20), depois que Carla Matias Vieira Santos chegou em casa do trabalho. Ao ser presa, a diarista relatou que chegou na residência que dividia com o enteado, o marido e o filho do casal, e viu tudo sujo e molhado de água, além de perceber que um perfume dela tinha sumido.
"Em depoimento, ela contou que ficou nervosa, achando que o menino tinha levado alguém estranho em casa e sujado tudo. Ela também achou que ele deu o perfume dela para outra pessoa", disse a delegada Klaudine.
O casal saía para trabalhar e deixava os filhos sozinhos em casa.
O garoto de nove anos ia brincar com os amigos na rua, e retornava para casa antes da chegada da madrasta. Neste dia, no entanto, ele foi surpreendido. 
"Ela [Carla] ferveu uma panela de água e mandou o menino ajoelhar. Depois de queimá-lo, ela jogou água fria nele", diz a titular.
Quando o pai das criança chegou em casa, a diarista disse que o enteado havia se queimado e ela já tinha socorrido ele para um hospital.
"Ela inventou uma história de que o médico disse que, como ela tinha cursado três semestres de técnica de enfermagem, seria melhor levar o menino para casa e cuidar dele lá mesmo, para evitar uma infecção hospitalar. Só que ela não socorreu ele em momento nenhum", relata a delegada Klaudine.
O menino foi mantido preso dentro de casa por cinco dias. Ontem (25), após a denúncia, duas equipes da Polícia Civil da DAI estiveram na casa da família e prenderam Carla em flagrante. Ela vai responder por tortura, cárcere privado e omissão de socorrido. A diarista foi levada ontem mesmo para um presídio  feminino no Conjunto Penal de Feira de Santana.
O menino de nove anos foi queimado pela madrasta após ela encontrar casa bagunçada (Foto: Aldo Matos/Acorda Cidade)
O menino de nove anos foi queimado pela madrasta após ela encontrar casa bagunçada (Foto: Aldo Matos/Acorda Cidade)
Já o menino, que sofreu queimaduras de segundo grau no rosto, ombros e tronco, foi socorrido para o Hospital da Criança. Ele é acompanhado por um representante do conselho tutelar. Segundo a assessoria de comunicação do hospital,, o estado de saúde dele é considerado estável.
Ele passou por uma limpeza cirúrgica nos ferimentos, que estavam infectados, na manhã desta quarta-feira (26). Ainda segundo a titular da DAI, por conta da gravidade dos ferimentos dele, desde ontem o conselho tutelar tenta transferi-lo para o setor de queimados do Hospital Geral do Estado (HGE), em Salvador. A assessoria de comunicação do hospital não confirma esta informação.
O pai do menino vai responder por omissão de socorro. "Ele não foi preso porque é um crime de menor potencial ofensivo. Mas vai responder a um termo circunstanciado de ocorrência sobre o caso", informa a delegada Klaudine Passos. A guarda do menino será decidida futuramente pelo Conselho Tutelar. 
Compartilhar Google Plus

Caixa de comentários

0 Comentários:

Postar um comentário