Estudante simula roubo dentro de casa e furta R$ 100 mil de vizinho

Valor estava em veículo; vítima pediu para guardar carro na garagem.
Caso ocorreu em Feira de Santana, BA; jovem gastou R$ 20 mil com festa.


Informações G1 BA

Dinheiro foi achado dentro do quarto do estudante separados por pacotes, em Feira de Santana (Foto: Aldo Matos/ Site Acorda Cidade)
Dinheiro foi achado dentro do quarto do estudante separados por pacotes, em Feira de Santana (Foto: Aldo Matos/ Site Acorda Cidade)
Um estudante de 18 anos foi preso suspeito de simular um roubo para furtar R$ 100 mil do vizinho, em Feira de Santana, a 100 quilômetros de Salvador. O jovem foi detido quando voltava da escola, na segunda-feira (22), no bairro de Novo Horizonte. O delegado titular da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos (DRFR), André Ribeiro, relatou que o roubo ocorreu há cerca de 10 dias.
Em entrevista ao G1 na manhã desta terça-feira (23), Ribeiro relatou que o dono do dinheiro teria vendido um terreno para pagar dívidas de banco e escondeu a quantia no estepe do carro. Por não ter conseguido depositar o dinheiro e não ter garagem na residência, a vítima pediu ao pai do suspeito para guardar o carro na garagem. Segundo o delegado, quando estava sozinho, o jovem teria arrombado o carro do vizinho para furtar objetos do veículo, quando encontrou o valor.
"Para não chamar atenção, ele também arrombou o carro do pai, para que desse indícios de que alguém tivesse entrado na casa. O pai dele ainda disse, em depoimento, que tem um cachorro na residência e achou estranho ele não ter latido. Ele ainda quis bater no filho após a descoberta", disse.
Segundo André Ribeiro, o estudante gastou cerca de R$ 20 mil reais com festas e compras. O restante do dinheiro ele escondeu no quarto. Ainda segundo o titular, a namorada do suspeito confirmou, em depoimento, o uso da quantia pelo jovem.
"Esse valor ele gastou com festas conhecidas, comprou som para o carro dele, comprou celular, roupas e consertou um veículo que ele tinha. A namorada não estava com o suspeito no dia do crime", afirma Ribeiro. O delegado também relatou que o estudante trabalhava com o tio nas horas vagas e ganhava uma quantia de R$ 70 por semana.
Após ser interrogado e confessado o crime, o suspeito foi liberado no mesmo dia, pois, de acordo com o delegado, não houve flagrante. André Ribeiro informou que o inquério foi concluído na segunda-feira e encaminhado à Justiça. O estudante foi indiciado por furto qualificado. O restante do dinheiro, localizado na casa do suspeito, foi devolvido à vítima.
Compartilhar Google Plus

Caixa de comentários

0 Comentários:

Postar um comentário