Sobrevivente de queda de avião, Rui conta sobre projeto fotográfico na BA

'Fui lá para desbravar os detalhes', fala sobre a escolha pelo oeste baiano.
Ele fazia imagens de hieróglifos em plantação de algodão no dia da queda.


Iane Rezende, irmã de Rui, brinca com ele no quarto do hospital, em Salvador. (Foto: Iane Rezende/ Arquivo Pessoal)
Iane Rezende, irmã de Rui, brinca com ele no quarto do hospital, em Salvador. (Foto: Iane Rezende/ Arquivo Pessoal)

Depois de sofrer acidente de avião na região oeste da Bahia e ficar quase 10 dias em coma induzido, Rui Rezende conversou com o G1 nesta terça-feira (19), quando é comemorado o Dia do Fotógrafo. Ele sobrevoava uma fazenda perto de Barreiras, junto à piloto Ana Maira, que continua internada, com objetivo de registrar hieróglifos gigantes no chão do terreno, que foram desenhados na plantação de algodão. "Sempre que quero fazer imagem diferenciada, faço um esforço para isso. Não penso em parar de forma alguma, quero continuar cada vez mais forte", disse.

Plantação de algodão no oeste da Bahia (Foto: Rui Rezende/ Arquivo Pessoal)
Plantação de algodão no oeste da Bahia
(Foto: Rui Rezende/ Arquivo Pessoal)
Rui Rezende soma mais de 50 mil fotos do oeste da Bahia. De carro, percorreu 180 km e, de avião, tem mais de 40 horas de voo. Justifica o projeto citando a dimensão que a região oeste representa para a Bahia e o Brasil.
"O tamanho da área cabe três estados brasileiros, Espírito Santo, Sergipe e Rio de Janeiro. É divisa com Minas, Tocantins, Goiás, Piauí e Pernambuco. É uma região muito abandonada fotograficamente. Grandes fotógrafos vão fazer matérias sobre assuntos específicos e muitos se perdem. Falam sobre algodão, depois o assunto vai e se perde. Falam sobre soja e o mesmo acontece. Eu fui para desbravar detalhes, o potencial natural da região é inacreditável", conta, por telefone, ainda no quarto do Hospital São Rafael, em Salvador.
Apesar da pausa para recuperação pós-acidente, o trabalho está em etapa de conclusão, diz. Mesmo com 50 mil fotos para o livro, Rui diz que, por ser perfeccionista, gostaria de retonar a lugares e refazer determinadas imagens, mas vai se adaptar com o material produzido, já que tem conteúdo para fazer três livros.
A previsão de lançamento, segundo o fotógrafo, ainda é para este ano, e ele esboça ainda um novo projeto. "Eu tenho um projeto com a Baía de Todos-os-Santos. Comecei, já fiz exposição com esse tema, eu penso sempre em projetos", conta. Informações G1 BA
Mosaico de fotos que faz parte do projeto do livro de Rui Rezende. (Foto: Rui Rezende/ Arquivo Pessoal)
Mosaico de fotos que faz parte do projeto do livro de Rui Rezende. (Foto: Rui Rezende/ Arquivo Pessoal)

Compartilhar Google Plus

Caixa de comentários

0 Comentários:

Postar um comentário