Polícia conclui que estudante de biomedicina foi vítima de latrocínio em Feira

Foram levados da casa de Aécio da Cruz Silva, 29 anos, um notebook, um celular e uma quantia em dinheiro

A Polícia Civil de Feira de Santana concluiu esta semana que o estudante de biomedicina encontrado morto dentro de casa foi vítima de latrocínio. Com isso, o caso deixou de ser responsabilidade da Delegacia de Homicídios e passará a ser investigado a partir desta quinta-feira (14) pela Delegacia de Furtos e Roubos da cidade.

As investigações demonstraram que a motivação para o crime foi de ordem patrimonial", relata o delegado João Uzzum, da Delegacia de Homicídios. Segundo ele, no último dia 3 de agosto foram levados da casa de Aécio da Cruz Silva, 29 anos, um notebook, um celular e uma quantia em dinheiro.

Até o momento dez pessoas foram ouvidas pelo delegado para apurar o caso, entre familiares, amigos e estudantes da Faculdades Unidas Feira de Santana (Fufs), onde Aécio estudava. Segundo João Uzzum, a polícia tem suspeitos de ter cometido o crime, mas ainda não fez nenhuma prisão.

Entenda o casoAécio era técnico em patologia e trabalhava em um laboratório de análises clínicas. Segundo a Delegacia de Homicídios, a vítima foi encontrada no dia 3 de agosto com os pés e as mãos amarrados na cama, dentro da quitinete onde ele morava na rua Visconde do Rio Branco, no bairro de Baraúna.

A suspeita é de que Aécio tenha sufocado até a morte. Segundo o site Acorda Cidade, o estudante foi encontrado morto pelo irmão, que estranhou o fato dele não atender ao telefone desde a sexta-feira (1º). Ele também não compareceu ao trabalho no sábado (2).
"A razão do crime ainda não sabemos, mas com certeza foi por alguém que tinha relações íntimas com ele", explica o titular da Delegacia de Homicídios, João Uzzum. "Informações dos familiares e a cena do crime indicam que o autor foi uma pessoa com intimidade", completa o delegado. Informações Correio24hs
Compartilhar Google Plus

Caixa de comentários

0 Comentários:

Postar um comentário